Posts Tagged ‘acidente’

Conheça aqui os detalhes sobre a Ferrari que C. Ronaldo destruiu

janeiro 11, 2009

novitec-rosso-ferrari-599-gtb-fiorano-2008-1

Cristiano Ronaldo saiu ileso de um acidente automobilístico na Inglaterra. O craque do Manchester United acabou com a Ferrari 599 GTB que dirigia, avaliada em 200 mil libras (cerca de R$ 673 mil). Confira abaixo todos os detalhes sobre a “carreta” que o gajo destruiu.

ferrari_599_gtb_interior_04_03_06

Interior: Câmbio manual de 6 marchas, comando por “borboletas” no volante e embreagem automática, pedais de alumínio e computador de bordo.ferrari599gtb_engine

Motor: 12 cilindros que fazem o carro ir de 0 a 100Km/h em 4 segundos, gasta um litro de gasolina a cada 4 kilometros e atinge 330Km/h.

Anúncios

Cristiano Ronaldo sofre acidente e destrói Ferrari em Manchester

janeiro 9, 2009

016280691-ex00

Craque português do Manchester United escapa sem ferimentos

Fonte: GloboEsporte

 O meia-atacante Cristiano Ronaldo se envolveu em um acidente automobilístico na manhã desta quinta-feira em um túnel próximo ao aeroporto da cidade de Manchester. O jogador português destruiu sua Ferrari, no entanto, escapou sem nenhum ferimento.

 Segundo fontes policiais, o acidente ocorreu por volta de 10h20m (horário local). Após o choque, o craque do Manchester United deixou o veículo sem problemas.

Uma testemunha ouvida pela emissora BBC disse que o português ficou assustado após a colisão.

– A Ferrari foi direto para o muro, e a roda esquerda dianteira saiu. Em seguida, Cristiano deixou o carro. Eu fiquei chocado. Mas ele estava bem, saiu andando, um pouco assustado e perplexo com o acontecido – disse.

O goleiro holandês Edwin van der Sar, companheiro de Cristiano no Manchester United, estava logo atrás, com seu Bentley, mas não se envolveu no acidente, segundo a Polícia.

As autoridades também informaram que o meia-atacante fez o teste do bafômetro, que deu negativo para o consumo de bebidas

Gilberto Ramalho, presidente da Intermarine, morre em acidente

janeiro 7, 2009

 

Empresário vinha de Parati para o interior de São Paulo quando o helicóptero em que voava explodiu pouco antes do pouso

Revista Náutica/Reprodução
O empresário Gilberto Ramalho

Gilberto Ramalho, dono da Intermarine, morreu nesta segunda-feira depois que o helicóptero modelo Agusta A-19 em que viajava explodiu quando o piloto se preparava para pousar. Outras cinco pessoas estavam na aeronave no momento do acidente. Piloto e copiloto foram levados para um hospital do município com ferimentos graves. A mulher, a filha do empresário e uma amiga dela sofreram ferimentos leves segundo informações publicadas pelo portal G1.

Gilberto Ramalho estava em Angra dos Reis e saiu com o helicópetro de Parati por volta das 15h30 desta segunda-feira, com destino a Itupeva, a 73km de São Paulo. O acidente aconteceu por volta das 17h, quando o piloto já se preparava para o pouso. A aeronave explodiu a cerca de 20 metros do solo e pegou fogo. Os ocupantes do helicóptero conseguiram sair, mas o empresário ficou preso nas ferragens e morreu carbonizado.

À frente da Intermarine, Gilberto Ramalho fez história na indústria de lazer náutico do Brasil. Desde 1973, o estaleiro já comercializou mais de 5000 embarcações, e tornou-se referência em lanchas de alto padrão no Brasil. Com licença para construir no Brasil embarcações do renomado estaleiro italiano Azimut Yachts, a Intermarine fez seu próprio padrão de qualidade, com uma ampla linha de embarcações, de 38 a 98 pés e representantes espalhados por todo Brasil.

Empresário visionário
Gilberto Ramalho foi um empresário visionário, cujo espírito empreendedor balizou a indústria náutica brasileira por três décadas. Além de timonear a Intermarine, o maior estaleiro brasileiro, Gilberto Ramalho participou de corridas de lanchas offshore e patrocinou rallies náuticos. A Intermarine, na mão de Gilberto Ramalho, foi responsável pela expansão do segmento das lanchas offshore no Brasil. Alguns dos modelos clássicos que a Intermarine já produziu foram a Panther 33, Cigarette 36, Oceanic 32 e, mais recentemente, a Intermarine 580 Full.

A Oceanic 32, inclusive, junto com a Oceanic 53, foi a primeira lancha apresentada por Náutica como teste. E depois delas seguiram-se muitas mais, totalizando 25 lanchas Intermarine já testadas por Náutica, quase uma por ano, além de várias inserções na seção Novos Barcos e lançamentos de lanchas nas matérias de boat shows. A Intermarine deu uma grande guinada quando se associou ao grupo italiano Azimut e balizou a indústria náutica nacional com o lançamento desta marca, que começou com a Intermarine 500 Full. O próprio termo Full, que designa um barco totalmente equipado, foi criado por Gilberto Ramalho na indústria náutica.

fonte: Revista Naútica