Posts Tagged ‘VIA FUNCHAL’

Deep Purple em Março na Via Funchal

janeiro 17, 2009
 interna509 Inglaterra. Fevereiro de 1968. Foi o local e a data da criação de uma das maiores bandas de rock de todos os tempos: Deep Purple. Como toda boa banda de cabeludos, qualquer tipo de rótulo era rejeitado. Não adiantou! Eles foram considerados, simplesmente, um dos criadoras do heavy metal e hard rock.

Achou pouco? Os caras mudaram de formação algumas vezes e a legião de fãs não se decepcionou. Não é à toa que quase 40 anos depois a banda sai em turnê e arrasta multidões, lotando casas de shows e estádios.

Esse troca-troca de músicos, entre eles os mais talentosos do rock, resultou na marca registrada do grupo: a mistura de guitarra e teclado, com riffs simples, fortes e solos rigorosos. Para conferir isso e muito mais de perto, corra até o Via Funchal. Serãoapenas duas apresentações, dias 6 e 7 de março.

A atual formação do grupo britânico se mantém desde 2001, e inclui Ian Gillan (vocal), Roger Glover (baixo), Steve Morse (guitarra), Don Airey (teclados) e Ian Paice (bateria), sendo que este último é o único a se manter desde o início, em 1968, quando foi lançado o álbum Shades Of Deep Purple.

Esta será a nona passagem do quinteto pelo Brasil, um dos países nos quais mantém seu maior público fora do mercado roqueiro dos EUA e da Europa. Se seus clássicos são cultuados, os discos mais recentes – como Bananas (2003) e Rapture Of The Deep (2005) – arrancam muitos elogios por parte dos fãs e da crítica especializada. Só conferir…

Fonte: Guia SP

 

VÍDEO – QUEEN AO VIVO NA VIA FUNCHAL

novembro 30, 2008

LOVE OF MY LIFE AO VIVO NA VIA FUNCHAL , 26 NOVEMBRO 2008.

Queen+Paul Rodgers: Como foi o show na Via Funchal – São Paulo/SP

novembro 29, 2008

que0483_ae Algumas bandas voltam aos palcos apenas por dinheiro. Outras tocam visivelmente por obrigação. Mas o que dizer de um dos maiores nomes da música que mesmo após perder a figura principal, e com quase 40 anos de carreira, consegue fazer um espetáculo que emociona seis mil pessoas e se mostra emocionada?

A apresentação de Queen+Paul Rodgers na noite desta quinta-feira, 27, em São Paulo, foi emocionante. Se no show da noite anterior a Via Funchal não estava lotada, nesta apresentação mal dava para andar dentro do local. Crianças, adolescentes, jovens e muitas senhoras e senhores compareceram para prestigiar a banda.

Às 22h00 as luzes se apagam e no imenso telão ao fundo do palco pequenas luzes se acendem, transportando o público para uma viagem entre as estrelas. O barulho feito pela platéia é ensurdecedor. O baterista Roger Taylor aparece no seu posto e é ovacionado. Logo em seguida Paul Rodgers e Brian May. Aliás, dificilmente existe um guitarrista no Rock que seja tão carismático quanto ele.

O grupo tocou quase o mesmo repertório da noite anterior. O show começou com “Hammer to Fall” seguida de “Tie Your Mother Down” e “Fat Bottomed Girls”. Paul Rodgers consegue pôr seu estilo nos clássicos sem desfigurá-los e sem tentar imitar Freddie Mercury. O que, obviamente, nunca foi a intenção do ex-vocalista do Bad Company ou dos integrantes remanescentes.4c62db947f5f4fcb800544280dcdef51

As músicas do novo álbum, “The Cosmos Rock”, foram bem recebidas pela platéia. Muitas pessoas cantaram junto todas as novas letras. Durante os clássicos, claro, Paul Rodgers, Brian May e Roger Taylor tinham que tentar cantar mais alto que o público de São Paulo.

Após a nova “Surf’s Up… School’s Out”, May diz ao microfone: “Gostaria de apresentar meu amigo Paul Rodgers”. Lembrando seus tempos de Bad Company, o cantor apresenta sozinho ao violão a música “Seagull”. Logo em seguida May volta ao palco para um dos momentos mais esperados do show: “Love of my Life”. A reação do público faz o vocalista dizer no meio da música que “algo acontece na América do Sul. Vocês têm paixão” pela música.

A bela “‘39” é a próxima. Durante a música Brian May chama Roger Taylor para acompanhá-lo e os outros integrantes da banda de apoio. Taylor faz um solo de bateria e assume os vocais em “I’m in Love With My Car” e “A Kind of Magic”. A diferença em relação ao repertório da noite anterior foi a substituição da música “Bad Company” por “Feel Like Making Love”, dois clássicos da ex-banda de Paul Rodgers.

Além do imenso telão de alta definição no palco, o jogo de luzes foi um dos mais bonitos que uma banda já trouxe para o país. São os aparatos técnicos que transformam um show em espetáculo. No clima do novo álbum, a Via Funchal parecia ter se transformado em um planetário quando imagens de galáxias surgiram no telão e um globo espelhado refletia pequenos pontos brancos pelo recinto.

Em “Bohemian Rhapsody” muitos marmanjos foram às lágrimas quando a imagem de Freddie Mercury apareceu no telão. Foi ele quem cantou toda a primeira parte da música. Realmente emocionante. Para o bis a banda volta com “Cosmos Rockin’”, “All Right Now” (do Bad Company), “We Will Rock You” e “We Are the Champions”, que encerra a inesquecível noite.

Ao final, além da sensação de êxtase, ficou uma inveja de quem teve a oportunidade de ver a banda nos áureos tempos, com a presença marcante de Freddie Mercury.

fonte : Rock On Line

McFly tem noite de ‘beatlemania’ em SP

outubro 10, 2008

Daniel Jones e Harry Judd, do McFly. (Foto: Daigo Oliva/ G1)

A cada momento em que alguém aparecia no palco, antes do show começar na noite desta quarta-feira (9), em São Paulo, os gritos começavam – crescendo naquela voz aguda adolescente e abaixando naturalmente quando as garotas (maioria absoluta do público) percebiam que eram roadies ou alguém da equipe técnica, e não o McFly.

Apesar de ainda contar com ingressos à venda até pouco tempo antes do início, a apresentação extra que a banda inglesa de pop rock fez na cidade  terminou lotando a capacidade da casa de espetáculos Via Funchal, com a presença de cerca de 6.000 pessoas – entre pais zelosos e muitas garotas menores de idade.

Mesmo sem tocar nas rádios, a banda tornou-se um fenômeno adolescente vindo diretamente da internet. Na sua Inglaterra natal, o quarteto – Thomas Flathcer (guitarra/ voz), Daniel Jones (guitarra/ voz), Dougie Poynter (baixo) e Harry Judd (bateria) – conseguiu colocar o álbum de estréia (já são cinco) no primeiro lugar das paradas, tirando dos Beatles o recorde de banda mais nova a chegar ao topo das paradas inglesas.

No Via Funchal, a histeria lembra um tanto a beatlemania. Com garotas esperando na fila há dias, sobram desmaios. Segundo Marco Antônio Livi, gerente operacional da casa, foram 21 atendimentos na enfermaria – uma média normal para esse tipo de show, segundo ele, que também informa que 90% dos casos são desconfortos e pressão baixa, causada por cansaço.

‘Sorry, McFly’

No palco, os garotos do McFly pareciam sinceramente emocionados com o sucesso no Brasil, e deram às fãs um show tecnicamente impecável. A platéia, um mar de garotas com objetos brilhantes e máquinas fotográficas na mão, respondia gritando, jogando presentes no palco e mostrando cartazes, que iam desde os costumeiros “we love you” (nós te amamos) até um bem humorado “free hugs” (abraços grátis).

Algumas garotas ainda tentaram armar um coro de “sorry, McFly” (desculpe, McFly). Explica-se: o assédio das fãs andou feroz nos primeiros dias da banda no Brasil – a turnê começou em Curitiba, no dia 5. Algumas, mais afoitas, chegaram a arrancar tufos de cabelo e rasgar a camisa de um dos rapazes.

Porém, no palco, o McFly não parecia tão preocupado com isso. Agradeceram diversas vezes o público, soltando um “a gente não consegue acreditar” em inglês e vários “obrigado” em português mesmo. Abriram o show com vigor, na rápida “One for the radio” (do novo álbum, “Radio:ACTIVE”) e fizeram todo mundo cantar com “Star girl” e “Room on the third floor” – sem contar as baladas como “All about you”.

Corriam para todas as partes do palco, sempre perto das fãs – especialmente Dougie, que com seu baixo com iluminação especial atravessava continuamente de um canto ao outro. Voltaram para o bis usando camisetas da seleção brasileira de futebol e reservaram para o momento apenas uma música, “Five colours in her hair” (uma mistura de surf music com trilha de desenho animado).

Com pouco mais de uma hora, o show termina – e é o momento de ir embora. Porque no dia seguinte, de manhã, quase todo mundo ali tem que ir para a aula.

SET LIST:

– “One for the radio”
– “Everybody knows”
– “Obviously”
– “Star Girl”
– “POV”
– “That girl”
– “Transylvania”
– “Lies”
– “All about you”
– “Falling in love”
– “Do ya”
– “Room on the 3rd floor”

BIS

– “Five colours in her hair”

fonte: G1

É a vez de São Paulo ouvir o som da McFly

outubro 8, 2008

Depois de lotar o Curitiba Master Hall no último domingo, a banda inglesa McFly sobe nesta quarta e quinta-feira ao palco da Via Funchal, em São Paulo. Os ingressos estão esgotados. Quem garantiu lugar poderá conferir de perto as performances de Tom Fletcher (guitarra, piano e voz), Harry Judd (bateria), Danny Jonnes (guitarra e voz) e Dougie Poynter (baixo e voz).

Em Curitiba eles evitaram tirar a roupa como de costume, mas a banda tocou as canções mais conhecidas do público como Obviously, Room On The Third Floor e All About You. Também interpretaram Everybody Knows, do recente álbum Radio: Active. Até agora, apenas um CD da banda foi lançado por aqui, o Just My Luck.

Para os shows de São Paulo, a McFly promete repetir a performance cheia de energia vista no Paraná. “As expectativas são as melhores. Estamos todos muito ansiosos”, disse o baterista Harry, por telefone ao Diário. Para ele, o que realmente emociona no Brasil são os fãs. “Os brasileiros são muito emotivos, costumam chorar. Isso é o máximo.”

Do Brasil, Harry confessa que só ouviu falar das praias, das mulheres, do futebol e também do funk. Inclusive, a banda dançou ao ritmo de Bonde do Tigrão durante um programa de TV da Inglaterra. “O ritmo é muito contagiante.”

Harry também explicou que define o som da banda como pop rock, e que o nome foi inspirado no sobrenome do protagonista do clássico filme dos anos 1980 De Volta para o Futuro, Marty McFly. “É um filme que todos gostam e fez parte da nossa adolescência. Foi o Tom quem escolheu”

fonte:Diario do Grande ABC

Queen traz ao Brasil a turnê de The Cosmos Rocks

setembro 27, 2008
 
 
   
 
A lendária banda Queen volta ao Brasil após 23 anos para apresentações na nova turnê que divulga o album The Cosmos Rocks. O guitarrista Brian May, o baterista Roger Taylor e o vocalista Paul Rodgers se apresentarão nos dias 26 e 27 de novembro no palco da Via Funchal, em São Paulo.

Os ingressos para os shows começam a ser vendidos no próximo dia 04 de outubro. Por enquanto estas são as únicas datas anunciadas, mas em breve devem ser divulgadas apresentações em outras cidades. Antes de chegar ao Brasil o grupo se apresenta em Buenos Aires, na Argentina, no dia 21 de novembro.

O novo album, The Cosmos Rocks,  o primeiro de estúdio sem o vocalista original, Freddie Mercury, morto em 1991. O album foi lançado mundialmente no último dia 15 de setembro.

26 e 27/11/2008 – S�o Paulo/SP
Via Funchal – Rua Funchal, 65
Ingressos: ainda não divulgado
Informações: 11 3188-4148 / www.viafunchal.com.br