Posts Tagged ‘show’

Monstro da guitarra

outubro 11, 2008

Divulgação

 Aclamado músico de jazz, Stanley Jordan se apresenta no dia 22 de novembro, no Bolshoi Pub, em Goiânia: ingressos à venda

Carollyne Almeida
Da Editoria do DMRevista

  • Magic Touch (1985)
  • Standards, Vol. 1 (1986)
  • Flying Home (1988)
  • Cornucopia (1990)
  • Stolen Moments (1991)
  • Bolero (1994)
  • The Best of Stanley Jordan (1995)
  • Stanley Jordan Live in New York (1998)
  • Relaxing Music for Difficult Situations (2003)
  • Ragas (2004)
  • Dreams of Peace (2004)
  • State of Nature (2008)Show de Stanley Jordan
    Quando: 22 de novembro
    Onde: Bolshoi Pub
    Quanto: R$ 80 (pista) e
    R$ 100 (individual mesa)
    Onde comprar: Harmonia Musical (Rua 4, Centro) e lojas American Music (shoppings Buena Vista e Bougainville)
    Fone: (62) 3285-6185
  • Anúncios

    McFly tem noite de ‘beatlemania’ em SP

    outubro 10, 2008

    Daniel Jones e Harry Judd, do McFly. (Foto: Daigo Oliva/ G1)

    A cada momento em que alguém aparecia no palco, antes do show começar na noite desta quarta-feira (9), em São Paulo, os gritos começavam – crescendo naquela voz aguda adolescente e abaixando naturalmente quando as garotas (maioria absoluta do público) percebiam que eram roadies ou alguém da equipe técnica, e não o McFly.

    Apesar de ainda contar com ingressos à venda até pouco tempo antes do início, a apresentação extra que a banda inglesa de pop rock fez na cidade  terminou lotando a capacidade da casa de espetáculos Via Funchal, com a presença de cerca de 6.000 pessoas – entre pais zelosos e muitas garotas menores de idade.

    Mesmo sem tocar nas rádios, a banda tornou-se um fenômeno adolescente vindo diretamente da internet. Na sua Inglaterra natal, o quarteto – Thomas Flathcer (guitarra/ voz), Daniel Jones (guitarra/ voz), Dougie Poynter (baixo) e Harry Judd (bateria) – conseguiu colocar o álbum de estréia (já são cinco) no primeiro lugar das paradas, tirando dos Beatles o recorde de banda mais nova a chegar ao topo das paradas inglesas.

    No Via Funchal, a histeria lembra um tanto a beatlemania. Com garotas esperando na fila há dias, sobram desmaios. Segundo Marco Antônio Livi, gerente operacional da casa, foram 21 atendimentos na enfermaria – uma média normal para esse tipo de show, segundo ele, que também informa que 90% dos casos são desconfortos e pressão baixa, causada por cansaço.

    ‘Sorry, McFly’

    No palco, os garotos do McFly pareciam sinceramente emocionados com o sucesso no Brasil, e deram às fãs um show tecnicamente impecável. A platéia, um mar de garotas com objetos brilhantes e máquinas fotográficas na mão, respondia gritando, jogando presentes no palco e mostrando cartazes, que iam desde os costumeiros “we love you” (nós te amamos) até um bem humorado “free hugs” (abraços grátis).

    Algumas garotas ainda tentaram armar um coro de “sorry, McFly” (desculpe, McFly). Explica-se: o assédio das fãs andou feroz nos primeiros dias da banda no Brasil – a turnê começou em Curitiba, no dia 5. Algumas, mais afoitas, chegaram a arrancar tufos de cabelo e rasgar a camisa de um dos rapazes.

    Porém, no palco, o McFly não parecia tão preocupado com isso. Agradeceram diversas vezes o público, soltando um “a gente não consegue acreditar” em inglês e vários “obrigado” em português mesmo. Abriram o show com vigor, na rápida “One for the radio” (do novo álbum, “Radio:ACTIVE”) e fizeram todo mundo cantar com “Star girl” e “Room on the third floor” – sem contar as baladas como “All about you”.

    Corriam para todas as partes do palco, sempre perto das fãs – especialmente Dougie, que com seu baixo com iluminação especial atravessava continuamente de um canto ao outro. Voltaram para o bis usando camisetas da seleção brasileira de futebol e reservaram para o momento apenas uma música, “Five colours in her hair” (uma mistura de surf music com trilha de desenho animado).

    Com pouco mais de uma hora, o show termina – e é o momento de ir embora. Porque no dia seguinte, de manhã, quase todo mundo ali tem que ir para a aula.

    SET LIST:

    – “One for the radio”
    – “Everybody knows”
    – “Obviously”
    – “Star Girl”
    – “POV”
    – “That girl”
    – “Transylvania”
    – “Lies”
    – “All about you”
    – “Falling in love”
    – “Do ya”
    – “Room on the 3rd floor”

    BIS

    – “Five colours in her hair”

    fonte: G1

    É a vez de São Paulo ouvir o som da McFly

    outubro 8, 2008

    Depois de lotar o Curitiba Master Hall no último domingo, a banda inglesa McFly sobe nesta quarta e quinta-feira ao palco da Via Funchal, em São Paulo. Os ingressos estão esgotados. Quem garantiu lugar poderá conferir de perto as performances de Tom Fletcher (guitarra, piano e voz), Harry Judd (bateria), Danny Jonnes (guitarra e voz) e Dougie Poynter (baixo e voz).

    Em Curitiba eles evitaram tirar a roupa como de costume, mas a banda tocou as canções mais conhecidas do público como Obviously, Room On The Third Floor e All About You. Também interpretaram Everybody Knows, do recente álbum Radio: Active. Até agora, apenas um CD da banda foi lançado por aqui, o Just My Luck.

    Para os shows de São Paulo, a McFly promete repetir a performance cheia de energia vista no Paraná. “As expectativas são as melhores. Estamos todos muito ansiosos”, disse o baterista Harry, por telefone ao Diário. Para ele, o que realmente emociona no Brasil são os fãs. “Os brasileiros são muito emotivos, costumam chorar. Isso é o máximo.”

    Do Brasil, Harry confessa que só ouviu falar das praias, das mulheres, do futebol e também do funk. Inclusive, a banda dançou ao ritmo de Bonde do Tigrão durante um programa de TV da Inglaterra. “O ritmo é muito contagiante.”

    Harry também explicou que define o som da banda como pop rock, e que o nome foi inspirado no sobrenome do protagonista do clássico filme dos anos 1980 De Volta para o Futuro, Marty McFly. “É um filme que todos gostam e fez parte da nossa adolescência. Foi o Tom quem escolheu”

    fonte:Diario do Grande ABC

    Projeto apoiado pela Renault leva música erudita à população carente do Distrito Federal

    outubro 7, 2008

     

    De 9 a 17 de outubro, comunidades carentes do Distrito Federal terão uma rara oportunidade de conhecer um pouco do fascinante mundo da música clássica. Com o apoio cultural da Renault do Brasil, o pianista mais importante do País, Arthur Moreira Lima, apresenta na região a 3ª etapa do projeto “Um Piano pela Estrada 2008 – Brasil Sertões”. 
    Durante 1h30, o pianista vai executar as principais músicas de compositores eruditos e populares, brasileiros e mundiais, num rico repertório que inclui Bach, Beethoven, Mozart, Astor Piazzolla, Villa-Lobos e Luiz Gonzaga.
    Entre uma música e outra, Arthur Moreira Lima interage com a platéia, dando uma breve explicação sobre a vida de cada autor e a importância de cada obra. “É muito gratificante levar a música clássica a pessoas que nunca antes tiveram acesso esse tipo de cultura. Por todos os lugares por onde temos passado, a reação do público tem sido fantástica”, afirma o pianista, que já fez 255 apresentações. 
    A Renault faz questão de apoiar ações de cunho social que estimulem o acesso à cultura. Por isso, desde 2006, apóia o projeto “Um Piano pela Estrada 2008 – Brasil Sertões” por acreditar no poder transformador da iniciativa, que traz resultados positivos nas regiões carentes por onde passa. 
    A edição 2008 do projeto é composta de 60 concertos nos estados da Bahia, Minas Gerais, Goiás, Tocantins, Pará, Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe e Distrito Federal. A intenção é atender as comunidades mais carentes de cada município. 
    As apresentações são feitas no “Caminhão Teatro”, que tem a carroceria transformada em um palco de 45 m2, com toda a estrutura para o show, em apenas duas horas. 
    Tal versatilidade traz muitas vantagens. Permite, por exemplo, o deslocamento rápido de toda a equipe entre as cidades e elimina os custos de aluguel de um piano de primeira linha, já que o Steinway de cauda de Arthur Moreira Lima viaja no próprio caminhão e é montado e afinado em uma hora. 

    Vida dedicada à músicaArthur Moreira Lima começou a estudar pianos aos seis anos e, aos nove, já tocava um concerto de Mozart com a Orquestra Sinfônica Brasileira. O brasileiro se projetou internacionalmente no Concurso Chopin de Varsóvia. Foi premiado também nos Concursos de Leeds, na Inglaterra, e Tchaikovsky, em Moscou. 
    Arthur nasceu no Rio de Janeiro e, por meio do piano, tornou-se um cidadão do mundo. Estudou música na Europa, onde também já se apresentou muitas vezes. Suas notas já foram ouvidas nos Estados Unidos, América Latina, Ásia e África, lotando as principais salas de concertos do mundo. 
    No Distrito Federal estão marcadas oito apresentações do projeto “Um Piano pela Estrada 2008 – Brasil Sertões”, com a seguinte agenda: 
    09/10:
     Candangolândia
    10/10: Estrutural
    11/10: Recanto das Emas
    12/10: Riacho Fundo I14/10: Itapuã
    15/10: Paranoá
    16/10: Fercal
    17/10: Sobradinho
    Depois de Brasília, o projeto passa por Minas Gerais, Sergipe, Alagoas, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará.


    ZILDJIAN DAY

    outubro 1, 2008

     

    Completando a série de eventos internacionais de bateristas, a Zildjian e IP&T-Instituto de Percussão e Tecnologia, com apoio da Mix FM, realizam um evento de nível extraordin�rio: ZILDJIAN DAY com a apresentação dos bateristas:

    Dennis Chambers
    Giba Favery – Coordenador do IP&T e de talento reconhecido no Brasil e Exterior
    Jean Dolabella – Baterista do Sepultura
    Gabriel Azambuja – Cachorro grande.

    Quinta, 23/outubro as 6 da tarde

    Convites em troca de 2 quilos de alimento não perecível pelo telefone: (11) 5012.2777
    Atenção: reserva de convites apenas por telefone!

    Local: Auditório Unip
    R. Vergueiro, 267 – Entrada pela Rua Apeninos

    Após roubo, Hebe dá guitarra para Rita Lee

    setembro 26, 2008
    Rita Lee revelou que as guitarras roubadas estavam com ela há pelo menos 35 anos.

    Sem notícias de seus instrumentos roubados em agosto, após um show em Curitiba, a cantora Rita Lee ganhou uma guitarra Fender Telecaster da apresentadora Hebe Camargo.

    Instrumentos de turnê de Rita Lee
    foram roubados por homens
    armados em agosto
     

    A informação é da coluna Mônica Bergamo, que traz entrevista com a cantora, na edição desta quinta-feira (25), que está nas bancas.

     
    Rita Lee contou que apelidou o instrumento de “Gracinha”. A estréia da nova guitarra foi feita na semana passada, nas apresentações do show “Picnic” em Cascavel e Foz do Iguaçu. Em São Paulo, a cantora se apresenta a partir de amanhã, no HSBC Brasil.

    A cantora revelou ainda que as guitarras roubadas estavam com ela “há pelo menos 35 anos”. Ela também contou que rogou praga aos ladrões: “Que os dedinhos dos ladrões entortem feito rabo de porco e não consigam tocar nos instrumentos, aqueles fihos da p….”,afirmou.

     
     
    Fonte: Folha Online

    Mônica Salmaso e Pau Brasil retornam ao Teatro FECAP

    setembro 23, 2008


    Espetáculos de encerramento da temporada de “Noites de gala, samba na rua”,

    com músicas de Chico Buarque

    Entre 1º. e 5 de outubro, preços populares

    Lançamento do DVD do show

    Cerca de 25 mil pessoas em 18 cidades brasileiras assistiram a um dos espetáculos mais aclamados dos últimos anos, Mônica Salmaso e o grupo Pau Brasil em Noites de Gala, Samba na Rua, integralmente dedicado à obra extraordinária de Chico Buarque. O show retorna agora ao Teatro FECAP para apresentações entre 1º. e 5 de outubro, com preços populares.

     A temporada marca ainda o lançamento do DVD do show gravado em marco deste ano no próprio Teatro FECAP.

    Patrocinada pelo Bradesco Prime, a turnê nacional que agora se encerra começou em abril pelo Sul e seguiu pelo Nordeste, Norte, Centro Oeste e Sudeste até setembro.

    O Pau Brasil é formado por Teco Cardoso (sopros), Ricardo Mosca (bateria), Nelson Ayres (piano), Rodolfo Stroeter (contrabaixo) e Paulo Belinatti (violão), da esquerda para a direita na foto abaixo.

    A química entre a voz precisa de Mônica, a sonoridade jazzística do Pau Brasil e as canções de Chico Buarque, perpassa quatro décadas de criação do grande compositor brasileiro. Cultuado por Mônica desde o início de sua carreira, Chico Buarque convidou a cantora para participar de seu mais recente CD, “Carioca”, com quem dividiu os vocais em “Imagina”.

    O repertório de Noites de Gala, Samba na Rua (cd produzido por Rodolfo Stroeter e lançado pela Biscoito Fino, assim como o dvd homônimo lançado agora) contempla diversas fases do autor. Do Chico inicial, tratado como herdeiro de Noel Rosa na prolífica década de 60, Mônica selecionou quatro faixas. Os sambas “Quem te viu, quem te vê” (de cujos versos foi retirado o título do álbum) e “Logo eu” ; o clássico “Morena dos olhos d´água” e o raro e irresistível maxixe “Bom tempo”.

    Da década de 70, período em que as canções de Chico Buarque tornaram-se emblemas contra a ditadura estão “Construção” (aqui flertando com a música contemporânea), “Partido Alto”, “Basta um dia” (da peça “Gota D´água”) e “Olha Maria”, parceria de Chico com Tom e Vinicius. Nos anos 80, quando Chico incorporou definitivamente a condição de unanimidade nacional, entram “A volta do malandro” (feita para o filme “A Ópera do Malandro”, de Ruy Guerra); “Beatriz” e “Ciranda da bailarina” (parcerias com Edu Lobo para “O Grande Circo Místico”); “O velho Francisco” e “Suburbano coração”. “Você, você” (parceria com Guinga) é a faixa da sofisticada maturidade de Chico, a partir dos anos 90, selecionada para este álbum.

    Mesmo tendo ligação forte com o Pau Brasil, é a primeira vez que Mônica canta acompanhada por todos eles. Ela conta: “Com Paulo Bellinati, gravei meu primeiro CD, Afro-Sambas. Rodolfo Stroeter é o produtor dos meus discos desde Trampolim, de 1998, relançado pela Biscoito Fino em 2006. O Teco Cardoso, com quem hoje eu sou casada, trabalha comigo desde 1998 em discos e projetos, como a Orquestra Popular de Câmara. Ricardo Mosca eu conheço desde 1990, quando comecei a cantar. E com o Nelson Ayres trabalhei pela primeira vez em 1993, quando ele me convidou para participar de uma edição de O Grande Circo Místico”, explica.

    A escolha do repertório foi feita em conjunto. A intenção era criar um disco e espetáculo em que a voz da cantora e a sonoridade do Pau Brasil estivessem perfeitamente integradas. De uma lista de 60 composições de Chico chegaram a 14, escolhidas conforme os arranjos iam se delineando e o grupo sentia necessidade de uma determinada “cor” no trabalho: “O Chico recebeu uma cópia do CD antes da mixagem. Telefonou para Rodolfo e pra mim dizendo estar emocionado e feliz com o trabalho.”

    O TEATRO FECAP

    O Teatro FECAP é o espaço da música brasileira em São Paulo. Desde a sua inauguração em setembro de 2006, com quatro semanas de shows de Paulinho da Viola, o Teatro FECAP vem apresentando o melhor da música brasileira em seus diversos gêneros, quase sempre com espetáculos especialmente concebidos, que se beneficiam de sua extraordinária acústica e aparelhagem sonora.

    Entre os artistas que passaram por seu palco estão: Rosa Passos, João Bosco, Martinho da Vila, Arnaldo Antunes, Roberta Sá, Tânia Maria, Eduardo Gudin, Leila Pinheiro, Raul de Souza, Roberto Menescal, Andy Summers, Toninho Ferragutti, Joyce, Quarteto Maogani, Proveta, Cristina Buarque & Terreiro Grande, Germano Mathias, Mario Adnet, Ângela Ro Ro, Boca Livre, Chico César, Teresa Cristina & Grupo Semente, Toninho Horta, Pife Muderno, Leny Andrade, Quinteto Violado, Nana Vasconcelos & Yamandú Costa, Altamiro Carrilho, Dominguinhos, Ná Ozzetti, Wilson das Neves, Alaíde Costa, Fátima Guedes, Toquinho e MPB 4.

    Ficha técnica do Teatro FECAP: Homero Ferreira (Direção artística), Américo Marques da Costa (Direção de produção), Thyago Bráulio (Produção executiva), David Alexandre e Cristiane Barros (Produção executiva), Alberto Ranellucci (som), Carlos Rocha (som), Rafael Valim (som), Silvestre J. R. e equipe (iluminação), Valéria Marchesoni (design gráfico).

    Mônica Salmaso canta Chico Buarque com o grupo Pau Brasil no Teatro FECAP – Noites de Gala, Samba na Rua – Encerramento da turnê nacional – Serviço:

    Local: Teatro Fecap (Av. Liberdade, 532, tel. 3188-4149 – www.fecap.br)

     

    Datas e horários: 1º. a 5 de outubro de 2008 – de quarta a sábado, 21h – domingo, 19h

    Lotação: 400 lugares

    Duração: 75 minutos

    Preços: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia).

    Bilheteria: de terça a sábado, das 14h às 21h; domingo, das 14h às 19h, no próprio teatro.

    Internet: basta acessar o portal da FECAP (www.fecap.br) e entrar a página do Teatro.

     

    Central de Ingressos: através do telefone (11) 3188.4149. De segunda a domingo das 9h às 21h.

    Cartões de Crédito: Master, Visa e Dinners.

    Estacionamento c/ manobrista: R$ 12,00

    Acesso para portadores de necessidades especiais – Ar condicionado – Wine bar

    Mais informações: (11) 3188.4149

    Assessoria de imprensa/Teatro FECAP:

    Manoel Carlos Jr.

    SHOW ANIMAL!!!

    setembro 18, 2008

    É AMANHÃ!!! – 19/09/2008

    5o. Show Beneficente Projeto Música Animal

    Desta vez o MúsicaAnimal vai ajudar 3 protetoras (Bete, Vanessa e Carol)independentes, que cuidam de vários cães na zona Sul, mais especificamente na Av. Cupecê.
    Este show terá como convidado especial o acordeonista e pianista Felipe Soares, que tem uma característica muio bacana como músico: toca de tudo, de forró pé-de-serra a serestas, de jazz a bossa-nova, choros, sambas de roda… O duo, com a flautista Maicira Trevisan, vai mostrar a produção musical no Brasil do fim do sec. 19, qdo. da chegada da corte portuguesa, até começo do sec. 20. São desse período polcas, maxixes, mazurcas, schottishs, valsas, tanguinhos brasileiros, batuques, habaneras…E os compositores: Juca Kalut, Mario Álvares, Irineu de Almeida, Ventura Careca, Ernesto Nazaré, Patapio Silva, pessoas de vida interessante, artesóes, sapateiros, escritores, compositores de trilhas para teatro, além de músicos!
    Além de tocar essas obras inéditas e de legítima importância cultural, será contado um pouco sobre esse período e sobre particularidades desses que fizeram a nossa música de hoje, alguns inclusive que passaram pelo mais importante conjunto de música brasileira: do mestre Pixinguinha.
    Como nessa época não havia ainda percussão nas formações musicais, reproduziremos essa sonoridade executando as músicas com flauta e acordeon ou flauta e piano, como muitos choros de Nazaré.

    DATA:      19/setembro/08  – 6a. feira –  22h
    LOCAL:    Livraria Nobel – Av. Roberto Marinho, 2076 – Campo Belo
    Cafeteria                 **  Estacionamento gratuito  **

    INGRESSO: ração para cães, cobertor, jornal, medicamentos (cefalexina), pulgicida, sarnicida, vermífugos, ou qq produto pet de 1a. necessidade

    Metallica: set-list do show de lançamento do novo álbum

    setembro 13, 2008

    O Metallica tocou cinco novas músicas no O2 World, em Berlin, dia 12 de setembro, no show em comemoração ao lançamento de “Death Magnetic”. O set-list foi o seguinte:

    01. That Was Just Your Life
    02. End Of The Line
    03. The Thing That Should Not Be
    04. Of Wolf Of Man
    05. One
    06. Broken, Beat, and Scarred
    07. Cyanide
    08. Frantic
    09. Until It Sleeps
    10. Wherever I May Roam
    11. For Whom The Bells Tolls
    12. The Day That Never Comes
    13. Master Of Puppets
    14. Blackened
    ——–
    15. Blitzkrieg
    16. Jump In The Fire
    17. Seek and Destroy

    São Paulo Moto Festival recebe Roger Hodgson

    setembro 7, 2008

    07/09/2008 
    Voz do Supertramp canta principais sucessos 

    Roger Hodgson, uma das atrações mais esperadas, se apresentou no segundo dia do São Paulo Moto Festival. O músico e compositor lembrou canções como Take The Long Way Home, Give a Little Bit, Dreamer, The Logical Song, It´s Raining Again, entre outras. 

    Quem também passou pelo palco principal foi os Paralamas do Sucesso. Hebert Vianna, Bi Ribeiro e João Barone abriram o show com a música Vital e Sua Moto, bem no clima do evento.

    O evento continua neste domingo a partir das 10h00. O público que comparecer no autódromo de Interlagos vai conferir o som da Blitz e mais uma vez The Alan Parsons Live Project.

    O São Paulo Moto Festival é uma iniciativa da Atual Marketing Promocional e Rafael Reisman Produções, responsáveis por eventos como o Brasília Music Festival em 2003, o Brasilia Music Festival Electronic em 2004 ou com a versão Mix de Eletronic e rock em 2006 e o BMF Moto ano passado.

    São Paulo Moto Festival

    7 de setembro, das 10h às 20h
    Local: Autódromo de Interlagos, São Paulo
    vipcomm