Posts Tagged ‘300 discos importantes da música brasileira’

Charles Gavin lança “300 Discos Importantes da Música Brasileira” – Um painel da música popular gravada no Brasil entre 1929 e 2007

outubro 23, 2008

300 DISCOS IMPORTANTES DA MÚSICA BRASILEIRA
 
 
LIVRO DE ARTE TRAZ UM PAINEL DA MÚSICA POPULAR
GRAVADA NO BRASIL ENTRE 1929 E 2007
 UM PROJETO DE CHARLES GAVIN, PATROCÍNIO DA PETROBRAS
 
TEXTOS DE TÁRIK DE SOUZA, CARLOS CALADO, ARTHUR DAPIEVE E CHARLES GAVIN
 
CAPAS DE TODOS OS DISCOS – FOTOS INÉDITAS – DOIS CDS BÔNUS
 
Lançamento em 30 de outubro na Livraria Cultura da Avenida Paulista com
noite de autógrafos e debate sobre a preservação da memória da música brasileira
 
“Este livro coloca em discussão 300 discos importantes que mudaram e continuam mudando a música brasileira”, assim Charles Gavin define o projeto que criou com a finalidade de “resgatar e preservar a memória da música brasileira, uma necessidade urgente.”
 
Para realizá-lo, Gavin chamou três jornalistas especializados, Tárik de Souza, Carlos Calado e Arthur Dapieve, que se alternam nas resenhas dos discos, divididos em cinco capítulos por períodos: Gravações de 1929 a 1959 (31 títulos), Gravações de 1960 a 1969 (77 títulos), Gravações de 1970 a 1979 (104 discos), Gravações de 1980 a 1989 (47 discos) e Gravações de 1990 a 2007 (41 títulos).
 
“Após inúmeras reuniões,” diz Gavin, “conseguimos selecionar os 300 discos. Porém, ficou o gosto de quero mais – qualquer número é insuficiente para expressar a grandeza e a riqueza de nossa música. Por isso, propus que cada um de nós, produtor, escritores e os colaboradores Caetano Rodrigues, Valdir Siqueira e Zeca Louro, montasse a sua lista de 30 discos que por alguma razão não foram escolhidos”. As sete listas com esses 30 discos extras constam do livro.
 
[O lançamento acontecerá em São Paulo em 30 de outubro, quinta-feira, a partir das 19h, na Livraria Cultura (Av. Paulista, 2073 – Tel: 11.3170-4033), com as presenças de Charles Gavin, Tárik de Souza, Carlos Calado e Arthur Dapieve, que  participarão de um debate sobre o tema do livro: a necessidade do resgate e da preservação da memória da música brasileira.
 

[ O livro estará à venda exclusivamente na Livraria Cultura (www.livrariacultura.com.br) com o preço de capa de R$ 230,00. Parte da renda da venda do livro será doada ao Instituto Sou da Paz.
 
300 Discos Importantes da Música Brasileira tem 434 páginas, no formato 31cm x 31cm, as medidas de um LP – “afinal, os autores pertencem à era do LP, do vinil, da bolacha”, diz Gavin. Fartamente ilustrado pela capas de todos os discos, o volume tem ainda fotos inéditas, índices por nome do artista e por título do disco. Além disso, como bônus, dois CDs encartados de álbuns históricos de Moreira da Silva (O Último Malandro, de 1959) e Elza Soares (Baterista Wilson das Neves, 1968).
 
300 Discos Importantes da Música Brasileira – Ficha técnica: Produção e organização: Charles Gavin / Textos: Tárik de Souza, Carlos Calado, Arthur Dapieve e Charles Gavin. Colaboradores: Caetano Rodrigues, Valdir Siqueira e Zeca Louro / Design Gráfico: Silvia Ribeiro / Assistente: Clarice Ubá / Restauração digital de capas e fotos: Cilene Rosso / Elaboração, administração e coordenação geral: Mariza Adnet / Fotos: Francisco Pereira e arquivo do Jornal do Brasil.
 

 
300 Discos Importantes da Música Brasileira, por Charles Gavin

E se aquele garoto quiser estudar os arranjos de Moacir Santos? E se aquela garota quiser cantar alguma música de João do Vale? E se aquele estudante quiser ouvir o saxofone de Pixinguinha? E se alguém quiser conhecer a obra monumental de Jackson do Pandeiro? Como fará se seus discos não estiverem disponíveis?

Insisto nesta questão: o resgate da memória cultural de nosso país é assunto sério, fundamental e urgente. As gerações que estão por vir precisam de meios para localizar e valorizar a identidade brasileira. E mais: se reconhecerem nela. Este é, e sempre será, o objetivo dos projetos que produzo há dez anos: a preservação da memória da música brasileira.

Pensando nisso, tive a idéia de um livro que apresentasse um painel da música brasileira desde quando começou a ser gravada até os dias de hoje, levando em conta relevância artística e diversidade.
 
 
 
 
 
Para esta empreitada, convoquei três amigos, todos jornalistas e escritores, com quem compartilho idéias e opiniões: Tárik de Souza, Arthur Dapieve e Carlos Calado. Para completar a equipe, convidei mais três amigos que entendem de música brasileira como ninguém: Caetano Rodrigues (a maior autoridade do planeta em bossa nova), Valdir Siqueira (colecionador de LPs e consultor) e Zeca Loro (criador e diretor de Loronix, um dos melhores blogs sobre música brasileira).

Para finalizar, destaco a frase do grande mestre Tim Maia: “A música brasileira é a melhor do mundo e a menos divulgada.” Vamos mudar isso?
 
 
O trabalho de resgate da música brasileira de Charles Gavin
 
“Meu primeiro projeto de resgate de discos esquecidos nos acervos das grandes companhias foi realizado em 1998 para a Warner, gravadora dos Titãs na época. Os dois primeiros LPs dos Secos & Molhados foram relançados juntos em um CD que, em menos de dois meses, vendeu mais de 50 mil cópias, marca extraordinária, para um projeto de marketing estratégico realizado com títulos abandonados no catálogo.
 
O sucesso desse projeto rendeu-me o convite para fazer uma coleção com mais 14 CDs na própria Warner. A partir dai não parei mais. Em dez anos de trabalho consegui recolocar no mercado mais de 450 discos dos catálogos da Som Livre, Universal, Sony/BMG e Warner.
 
Alguns desses projetos são: Série Elenco (relançamento 20 álbuns do selo independente mais importante da música brasileira, 2001), Som Livre Masters (relançamento de 70 álbuns dos acervos da Som Livre, RGE e Som Maior, 2005), RCA Essential Classics, (relançamento de 40 títulos raros do acervo da BMG, 2004), Todo Caetano (caixa com toda a discografia retaurada de Caetano Veloso/Universal Music, 2002); Bossa Nova e Outras Bossas: Design e arte das capas dos LPs (livro de arte contendo mais de seiscentas capas do acervo do colecionador Caetano Rodrigues, patrocinado pela Petrobras). Fui ainda curador do Bossa 50, a exposiçao temática sobre os 50 anos da bossa nova, realizada na Bienal em São Paulo.
 
Atualmente apresento dois programas semanais: o Quintessência na Rádio Eldorado FM e O Som do Vinil no Canal Brasil, onde coloco em discussão a necessidade do resgate e preservação da memória da música brasileira.”
 
Assessoria de Imprensa
 
Manoel Carlos Jr.                 

Daniela Oliveira                         
Luciana Lamanna                      
Luiza Goulart

Anúncios