Quando o iPod faz mal ao coração

Segundo um estudo apresentado durante a reunião da American Heart Association, os imãs presentes nos fones de ouvido podem prejudicar o funcionamento de dispositivos cardíacos
Cristiane Segatto

 
01589283800RISCO
Os imãs dos fones de ouvido podem alterar os sinais que os marcapassos e desfibriladores enviam ao coração 
Ouvir música no iPod ou em outros tocadores de MP3 é uma das melhores invenções tecnológicas dos últimos tempos. Quase ninguém resiste a esses aparelhinhos. Mas os médicos, para não perder a tradição de estraga-prazeres, acabam de fazer um alerta: esse hábito pode ser perigoso no caso de pessoas que usam marcapasso ou desfibriladores implantados no peito.

Imãs presentes nos fones de ouvido podem prejudicar o funcionamento de dispositivos cardíacos, segundo um estudo apresentado durante a reunião da American Heart Association, um dos mais importantes congressos de cardiologia que está sendo realizado em New Orleans, na Louisiana, nos Estados Unidos.

O marcapasso emite impulsos elétricos para acelerar ou reduzir o ritmo dos batimentos cardíacos. Quando exposto aos ímãs dos fones de ouvido, porém, o marcapasso pode enviar sinais que fazem o coração bater rápido demais ou muito devagar, mesmo quando isso não é necessário.

“No caso de pessoas que usam desfibriladores implantáveis, os riscos podem ser ainda mais sérios”, disse o autor do estudo, William H. Maisel, do Beth Israel Deaconess Medical Center, em Boston. “O imã pode desativar o desfibrilador temporariamente”.

No estudo, 60 voluntários colocaram os fones de ouvido diretamente sobre o peito. Interferências eletromagnéticas foram observadas em 14 deles (23%).

Se você usa desses dispositivos cardíacos

– não coloque os fones de ouvido no bolso da camisa

– não jogue os fones sobre os ombros

– não deixe que uma pessoa deite no seu colo se ela estiver usando esses aparelhos de áudio

 O futuro dos marcapassos

Os marcapassos funcionam com baterias que precisam ser trocadas, em média, a cada cinco anos. Para trocar a pilha, os médicos precisam submeter o paciente a uma nova cirurgia. No futuro, porém, é possível que os marcapassos possam ser alimentados por uma fonte alternativa de energia: o próprio coração.

Pesquisadores da Southampton University, do Reino Unido, apresentaram no congresso de New Orleans um microgerador que é alimentado pelos batimentos cardíacos. Num experimento preliminar, o aparelho foi capaz de produzir 17% da eletricidade necessária para fazer funcionar um marcapasso artificial.

Se a próxima geração de marcapassos incorporar essa tecnologia é possível que as baterias se tornem mais duráveis. Com isso, a quantidade de cirurgias para troca de pilhas poderá ser reduzida. Vai demorar alguns anos até que essa pesquisa dê origem a um produto. Mas não deixa de ser uma boa notícia.

fonte: REVISTA ÉPOCA

Tags: , , ,

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: