Lançamento mundial – Buena Vista Social Club At Carnegie Hall (Gravadora MCD

BUENA VISTA SOCIAL CLUB

AT CARNEGIE HALL

 LANÇAMENTO MUNDIAL SIMULTÂNEO EM 13 DE OUTUBRO DE 2008

 A gravadora MCD lança no Brasil o cd duplo em embalagem de luxo do célebre

concerto no Carnegie Hall da formação original do Buena Vista Social Club

 

 O show foi mais do que um evento musical. Músicos de Cuba com seus 70, 80 ou 90 anos, alguns vindos da aposentadoria, faziam sua estréia nos Estados Unidos em um teatro como o Carnegie Hall. Com toda a delicadeza agridoce de um bolero, o Buena Vista Social Club celebrava a vitalidade e o virtuosismo de seus músicos e, simultaneamente, o luto pela era que eles personificavam.”

The New York Times

 Buena Vista Social Club, o vencedor do prêmio Grammy de melhor álbum de world music de 1997 é o disco mais vendido da categoria na história, com mais de oito milhões de álbuns. Produzido pelo grande guitarrista americano Ry Cooder, reuniu um time dos sonhos de veteranos da época de ouro da música cubana, apresentou a um novo público os ritmos de sonbolero e danzón e fez de Ibrahim Ferrer, Rubén González, Eliades Ochoa, Omara Portuondo e Compay Segundo novas estrelas da música internacional.

 A banda original completa tocou em uma única noite, com ingressos esgotados, no Carnegie Hall em Nova York no dia 1o. de julho de 1998. O show tornou-se o clímax do elogiado documentário dirigido por Wim Wenders, também chamado de Buena Vista Social Club.

 Até agora, além das cenas do filme de Wim Wenders, a música daquela memorável noite havia sido ouvida, apenas, pelos felizes espectadores presentes ao grande show.

 Em 13 de outubro de 2008, dez anos após o espetáculo, chega simultaneamente às lojas de todo o mundo, o cd duplo em embalagem de luxo Buena Vista Social Club at Carnegie Hall (no Brasil, pela MCD), a gravação da noite histórica que é apenas o segundo lançamento da banda.

 O Buena Vista Social Club nunca fui uma banda regular: os músicos se reuniram por dez dias em um estúdio em Havana para gravar o álbum e logo depois seguiram rumos diversos. Alguns viajaram em turnê com Juan de Marcos González e seus Afro-Cubans All Stars. Outros, como Compay Segundo e Eliades Ochoa, colocaram suas próprias bandas na estrada. Omara Portuondo ocupou-se de sua agenda lotada, assim como o produtor e guitarrista Ry Cooder.

 Eventualmente, em abril de 1998, estabeleceu-se uma janela nas agendas que possibilitou a reunião de todos em duas noites de performance no Carré Theatre, em Amsterdã. Por causa do enorme sucesso dos shows foi definido o grande show final no mais prestigioso palco da América, o Carnegie Hall de Nova York.

 Por causa do embargo norte-americano a Cuba, a maioria dos músicos nunca havia visitado os EUA e, muito menos, tocado no Carnegie Hall. A noite foi uma celebração muito maior do que apenas um show de música. “Estar no palco, em qualquer lugar, com aqueles músicos e cantores era um sonho para mim,” lembra Juan Carlos, o lider da banda, “mas o Carnegie Hall era outra coisa. É o melhor do mundo e eu estava muito feliz por estar lá e por ver artistas como Rubén e Ibrahim naquele palco. Isso nunca poderia acontecer. E aconteceu.”

 Depois daquela noite, era claro que não haveria outro concerto; agendas lotadas mantiveram os artistas viajando e gravando seus projetos pessoais. Além disso, muitos tinham idade avançada o que tornava as coisas ainda mais difíceis.

 ‘Quando os músicos finalmente subiram ao palco, o público levantou-se e aplaudiu, e depois explodiu nas primeiras notas de ‘Chan Chan’, exatamente como fãs de rock fazem quando ouvem o maior hit de uma banda.”                                              

Los Angeles Times

 “Ouvindo às gravações do concerto pela primeira vez em dez anos, estou impressionado com a maravilha que foi o evento,” diz, hoje, Ry Cooder, “Esses são artistas fantásticos, grandes mestres, e eles entraram na música em um nível que não se ouve mais hoje em dia. Foi um encontro real e honesto, e você pode sentir o público sendo levado pela música. Foi como se todos os gênios estivessem fora das lâmpadas.”

 O álbum, composto de dois cds, traz 16 impecáveis faixas:

 CD 1

  1. CHAN CHAN (Francisco Repilado)                        4:46
  2. DE CAMINO A LA VEREDA (Ibrahim Ferrer)       4:59
  3. EL CUARTO DE TULA (Sergio Siaba)                            8:01
  4. LA ENGAÑADORA (Enrique Jorrín)                      2:44
  5. BUENA VISTA SOCIAL CLUB (Israel López)       5:59
  6. DOS GARDENIAS (Isolina Carillo)                       4:24
  7. QUIZÁS, QUIZÁS (Osvaldo Farres)                    3:48  
  8. VEINTE AÑOS (María Teresa Vera)                      4:07

 

CD 2

  1. ORGULLECIDA (Eliseo Silveira)                           3:23
  2. ¿Y TÚ QUÉ HAS HECHO? (Eusebio Delfín)           3:33
  3. SIBONEY (Ernesto Lecuona)                               2:33
  4. MANDINGA (Rodríguez Fiffe)                              5:30
  5. ALMENDRA (Abelardito Valdés)                           5:49
  6. EL CARRETERO (Guillermo Portabales)               5:39
  7. CANDELA (Faustino Oramas)                              7:00
  8. SILENCIO (Rafael Hernández)                            5:25

 Ficha técnica original: Produzido por Ry Cooder / Produção executiva e adicional Nick Gold / Bandleader Juan de Marcos González / Gravado por Jerry Boys / Mixado por Martin Pradler

 Músicos em ordem alfabética:

 Octavio Calderón (trompete), Joachim Cooder (bateria, percussão), Ry Cooder (guitarras/violões), Angel ‘Terry’ Domech (congas), Ibrahim Ferrer (vocais), Roberto García (bongos, sino, güiro), Hugo Garzón (vocais), Juan de Marcos González (bandleader, backing vocals, güiro), Rubén González (piano), Pío Leyva (vocais), Manuel ‘Puntillita’ Licea (vocais), Orlando ‘Cachaíto’ López (baixo), Manuel ‘Guajiro’ Mirabal (trompete), Eliades Ochoa         (violão, vocais), Omara Portuondo (vocais), Jesús ‘Aguaje’ Ramos (bandleader para Rubén González, trombone), Salvador Repilado (baixo), Compay Segundo (violão, vocais), Benito Suárez Magana (violão), Barbarito Torres (laoud – alaúde de 12 cordas), Alberto ‘Virgilio’ Valdés (maracas, backing vocals), Amadito Valdés (timbais)

 Parceria MCD e World Circuit

 O lançamento no Brasil, simultaneamente com o resto do mundo, de Buena Vista Social Club at Carnegie Hall, é o quarto fruto da parceria entre a gravadora inglesaWorld Circuit e a gravadora brasileira MCD. Ele sucede a Flor de Amor, de Omara Portuondo, Mi Sueño, de Ibrahim Ferrer, e o relançamento do Buena Vista Social Club original, gravado em Havana, mas nunca lançado no Brasil com seu livreto original.

 Para Eduardo Muszkat, fundador da MCD, as duas gravadoras têm muita coisa em comum e agora se aproximam definitivamente: “a febre da World Music começava em 1988 quando a World Circuit nasceu na Inglaterra para divulgar internacionalmente a música de regiões culturais “periféricas” como Africa e America Latina. Influenciados pelo movimento criamos em 1994 a MCD World Music. Muita coisa aconteceu desde então, a MCD diversificou suas atividades focando também em música brasileira e infantil, mas o gosto pela música do mundo permaneceu.”

 “Assim, é uma grande honra para nós a parceria com a World Circuit para trazer ao Brasil o seu catálogo repleto de música extraordinária de todas as partes do planeta.

 

 Preço sugerido: R$ 43,00

Assessoria de Imprensa/MCD:      Manoel Carlos Jr. 

                                                        Luciana Lamanna 

                                                        Daniela Oliveira 

                                                        Luiza Goulart 

                                                        

Tags: ,

Uma resposta to “Lançamento mundial – Buena Vista Social Club At Carnegie Hall (Gravadora MCD”

  1. Filipa Jorge Says:

    Há muito que a música cubana me fascina! E o melhor da música daquele país é que ouvindo um artista, você fica logo com vontade de ouvir e conhecer muitos mais. Foi o que aconteceu comigo quando ouvi Ibrahim Ferrer. Fui logo escutar o trabalho do resto do Buena Vista Social Club e cheguei a Omara Portuondo! Quanto a essa temática, sempre de muito interesse para a comunidade musical, encontrei uma matéria interessante sobre o fenômeno que vale a pena checkar:
    http://cotonete.clix.pt/quiosque/especiais/cuba/index.asp

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: