McFly tem noite de ‘beatlemania’ em SP

Daniel Jones e Harry Judd, do McFly. (Foto: Daigo Oliva/ G1)

A cada momento em que alguém aparecia no palco, antes do show começar na noite desta quarta-feira (9), em São Paulo, os gritos começavam – crescendo naquela voz aguda adolescente e abaixando naturalmente quando as garotas (maioria absoluta do público) percebiam que eram roadies ou alguém da equipe técnica, e não o McFly.

Apesar de ainda contar com ingressos à venda até pouco tempo antes do início, a apresentação extra que a banda inglesa de pop rock fez na cidade  terminou lotando a capacidade da casa de espetáculos Via Funchal, com a presença de cerca de 6.000 pessoas – entre pais zelosos e muitas garotas menores de idade.

Mesmo sem tocar nas rádios, a banda tornou-se um fenômeno adolescente vindo diretamente da internet. Na sua Inglaterra natal, o quarteto – Thomas Flathcer (guitarra/ voz), Daniel Jones (guitarra/ voz), Dougie Poynter (baixo) e Harry Judd (bateria) – conseguiu colocar o álbum de estréia (já são cinco) no primeiro lugar das paradas, tirando dos Beatles o recorde de banda mais nova a chegar ao topo das paradas inglesas.

No Via Funchal, a histeria lembra um tanto a beatlemania. Com garotas esperando na fila há dias, sobram desmaios. Segundo Marco Antônio Livi, gerente operacional da casa, foram 21 atendimentos na enfermaria – uma média normal para esse tipo de show, segundo ele, que também informa que 90% dos casos são desconfortos e pressão baixa, causada por cansaço.

‘Sorry, McFly’

No palco, os garotos do McFly pareciam sinceramente emocionados com o sucesso no Brasil, e deram às fãs um show tecnicamente impecável. A platéia, um mar de garotas com objetos brilhantes e máquinas fotográficas na mão, respondia gritando, jogando presentes no palco e mostrando cartazes, que iam desde os costumeiros “we love you” (nós te amamos) até um bem humorado “free hugs” (abraços grátis).

Algumas garotas ainda tentaram armar um coro de “sorry, McFly” (desculpe, McFly). Explica-se: o assédio das fãs andou feroz nos primeiros dias da banda no Brasil – a turnê começou em Curitiba, no dia 5. Algumas, mais afoitas, chegaram a arrancar tufos de cabelo e rasgar a camisa de um dos rapazes.

Porém, no palco, o McFly não parecia tão preocupado com isso. Agradeceram diversas vezes o público, soltando um “a gente não consegue acreditar” em inglês e vários “obrigado” em português mesmo. Abriram o show com vigor, na rápida “One for the radio” (do novo álbum, “Radio:ACTIVE”) e fizeram todo mundo cantar com “Star girl” e “Room on the third floor” – sem contar as baladas como “All about you”.

Corriam para todas as partes do palco, sempre perto das fãs – especialmente Dougie, que com seu baixo com iluminação especial atravessava continuamente de um canto ao outro. Voltaram para o bis usando camisetas da seleção brasileira de futebol e reservaram para o momento apenas uma música, “Five colours in her hair” (uma mistura de surf music com trilha de desenho animado).

Com pouco mais de uma hora, o show termina – e é o momento de ir embora. Porque no dia seguinte, de manhã, quase todo mundo ali tem que ir para a aula.

SET LIST:

– “One for the radio”
– “Everybody knows”
– “Obviously”
– “Star Girl”
– “POV”
– “That girl”
– “Transylvania”
– “Lies”
– “All about you”
– “Falling in love”
– “Do ya”
– “Room on the 3rd floor”

BIS

– “Five colours in her hair”

fonte: G1

Anúncios

Tags: , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: